Fontes e Dicas de como Captar Recursos Internacionais

Aumentar as possibilidades de captar recursos é essencial para o Terceiro Setor e Administração Pública, com isso devemos pensar em estratégias para captar recursos de fontes internacionais

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Squadra Consultoria

Fontes e Dicas de como Captar Recursos Internacionais. Aumentar as possibilidades de captar recursos é essencial para o Terceiro Setor e Administração Pública, com isso devemos pensar em estratégias para captar recursos de fontes internacionais.

Com novas possibilidades, incluindo fontes internacionais aumentamos assim, nossas chances de captar recursos de outros países.

Sendo assim, menos dependente do Estado e dos mesmos incentivadores.

Precisamos planejar e organizar nossos projetos para enviá-los de acordo com cada fonte internacional.

Cada país tem seu perfil de incentivador, alguns países preferem incentivar projetos da saúde, outros em tecnologia ou meio ambiente e assim por diante.

A captação de recursos realizada por estes países, deve ser feita ao longo de um processo de relacionamento, desenvolvendo parcerias com as organizações financiadoras, ou enviando os projetos para os editais em aberto.

Squadra Consultoria

Enviar os projetos para editais de financiadores internacionais, se tornou muito comum.

Nos últimos anos encontramos mais de 160 financiadores internacionais disponíveis para as OSCs brasileiras.

Mas quem são estas fontes de recursos internacionais?

Eles podem ter várias origens: são agências governamentais de países desenvolvidos, como União Europeia (Europeaid) e Governo dos Estados Unidos (USAid), e são bancos multilaterais, como BID e Banco Mundial.

Podem ser também agências da ONU, e são várias delas com editais abertos todos os anos, como o Fundo das Nações Unidas para a Democracia (UNDEF) e a ONU Mulheres (UN Women).

Existem também outras organizações espalhadas pelo mundo, de pequenas a grandes que também financiam projetos no mundo todo.

Nesse caso, há desde a Fundação Bill & Melinda Gates, a maior “grantmaker” do planeta, como o Fundo Guarda-Chuva Vermelho (Red Umbrella Fund), que apoia pequenos projetos de grupos que abordam o tema da prostituição.

Vale lembrar que, além dos Organismos Multilaterais de Crédito, há uma série de fontes alternativas, como agências governamentais, Bancos de Exportação/Importação e também bancos privados.

Estas fontes de fato tem seu lado complexo, com muitos financiadores de todos os tipos, fica praticamente impossível que uma OSC acompanhe os programas, editais que abrem todos os dias, pois existem seus critérios e prazos.

E é por isso que sempre indicamos alguns centros de informação (hubs) que prestam esse serviço: acompanham os editais internacionais e divulgam a informação sobre eles, facilitando o nosso trabalho.

É muito importante mantermos atualizados com as informações de editais em aberto, e é possível se cadastrar para receber um boletim semanal consolidando, todas essas informações existem no site ABCR, juntamente com nosso site para receber novidade e editais em aberto.

Com as informações e um ótimo planejamento, é possível pensar na captação de recursos internacionais como uma boa forma para a diversificação das fontes da organização.

Mas claro que para ter sucesso precisamos destinar um bom tempo de nosso dia para elaborar e enviar projetos para estas fontes.

Mas não esqueça: organização, planejamento e um projeto bem feito são fundamentais para conquistar o financiamento.

Passada a primeira etapa, é a hora de descobrir o banco ideal para financiar.

Leia “13 Dicas das Principais Fontes de Recursos para o Terceiro Setor.

Banco Interamericano de Desenvolvimento – BID

Com sede nos Estados Unidos, é uma das principais fontes de captação de recursos externos para o desenvolvimento econômico, social e institucional da América Latina e do Caribe.

O nosso objetivo é alcançar o desenvolvimento numa forma sustentável e ecológica.

Com uma história que remonta a 1959, somos a principal fonte de financiamento para o desenvolvimento da América Latina e o Caribe.

Oferecemos empréstimos, subsídios e cooperação técnica; e realizamos inúmeras pesquisas.

Mantemos um forte compromisso de alcançar resultados mensuráveis e os mais elevados padrões de integridade, transparência e rendição de contas.

Banco Mundial (BM)

Criado em 1944, juntamente com o Fundo Monetário Internacional (FMI), é composto de cinco agências.

A mais importante para captação de recursos externos é o Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento (BIRD).

O Banco (Banco Internacional para a Reconstrução e Desenvolvimento – BIRD) atua como uma cooperativa de países, que disponibiliza seus recursos financeiros, o seu pessoal altamente treinado e a sua ampla base de conhecimentos para apoiar os esforços das nações em desenvolvimento para atingir um crescimento duradouro, sustentável e equitativo.

O objetivo principal é a redução da pobreza e das desigualdades.

Corporação Andina de Fomento/Banco de Desenvolvimento de América Latina – CAF

Com sede na Venezuela, apoia atividades relacionadas com o crescimento econômico e a integração regional no setor de infraestrutura, tais como rodovias, transporte, telecomunicações, geração e transmissão de energia, água e saneamento ambiental, entre outras.

Promove um modelo de desenvolvimento sustentável através de operações de crédito, recursos não reembolsáveis e apoio em estruturação técnica e financeira de projetos dos setores público e privado da América Latina.

Fundo Internacional para o Desenvolvimento da Agricultura – FIDA

O FIDA atua em captação de recursos externos para o incremento da produção agrícola dos países em desenvolvimento, focando em pequenos produtores rurais, trabalhadores sem-terra e outros segmentos da população rural.

É voltado para o desenvolvimento agrícola; serviços financeiros; infraestrutura rural; pecuária; pesca; treinamento e capacitação institucional; armazenagem, processamento e venda de alimentos, além do desenvolvimento de micro e pequenas empresas.

Com isso, o FIDA terá operações em todos os estados do nordeste. Dos projetos em execução, cinco são com os governos estaduais (Bahia, Ceará, Paraíba, Piauí e Sergipe) e um com o Governo Federal (segunda fase do Projeto Dom Hélder Câmara), incluindo sete estados do nordeste.

O Escritório do FIDA no Brasil está localizado em Salvador, na Bahia, na região foco de sua atuação, e portanto perto das operações no país.

Fundo Financeiro para o Desenvolvimento da Bacia do Prata – FONPLATA

Concede empréstimos e garantias, captação de recursos externos e financia estudos de pré-investimento, identificando oportunidades de interesse dos países membros da Bacia do Prata – Argentina, Bolívia, Brasil, Paraguai e Uruguai – promovendo as iniciativas de desenvolvimento harmônico e de integração da região.

Global Environment Facility – GEF

Organização financeira independente, formada por 182 países, que financia, de forma não reembolsável, atividades relacionadas a biodiversidade, mudanças climáticas, degradação do solo, entre outras.

O GEF é um mecanismo de cooperação internacional com a finalidade de prover recursos adicionais e fundos concessionais para cobrir custos incrementais em projetos que beneficiem o meio ambiente global.

O Brasil aderiu ao fundo em 13 de junho de 1994.

Cada país recebedor de assistência do Fundo possui escritórios oficiais no governo, responsáveis pelas atividades do GEF: o ponto focal político do GEF no Brasil é o Ministério das Relações Exteriores (MRE) e o ponto focal operacional é a Secretaria de Assuntos Internacionais do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MP/SEAIN).

Japan Bank for International Cooperation – JBIC

O JBIC é um organismo constituído de 100% de capital do governo japonês, criado para financiar o investimento externo e o comércio internacional das empresas japonesas e apoiar países em desenvolvimento por meio de recursos em condições financeiras subsidiadas para a melhoria da infraestrutura socioeconômica e captação de recursos externos.

Kreditanstalt für Wiederaufbau – KFW

Concede empréstimos e contribuições financeiras a fundo perdido a programas de infraestrutura econômica e social; setores agropecuário e industrial; projetos de conservação do meio ambiente e dos recursos naturais; projetos de pequenas e médias empresas e financiamento de estudos e serviços.

Agência Francesa de Desenvolvimento – AFD

Financia e acompanha projetos que melhorem as condições de vida das populações, promovam o crescimento econômico, protejam o meio ambiente e ajudem os países frágeis ou recém-saídos de crises. A AFD também oferece assistência técnica visando um melhor desempenho da captação de recursos externos e dos projetos financiados.

Leia o artigo “Aprenda a Captar Recursos de Pessoas Físicas”.

Gostou? Compartilhe! Deixe seu recado abaixo.

Squadra Consultoria

Artigos Relacionados

Comente Sobre o Conteúdo

Cursos Online

Cursos Presenciais

Nossos Serviços

Últimos Artigos

Participe do nosso grupo no WhatsApp